Sinais Vitais

Como observar o estado físico de seu marchador

  • Flávia Zago
  • 14/01/2020
  • 11h51

 

Você sabia que observar o estado físico de seu marchador pode facilitar o diagnóstico de alguns problemas? 

A prática e a observação constante dos sinais vitais como respiração, pulso, temperatura, fezes e urina são essenciais para a avaliação da saúde do Mangalarga Machador, pois são estes sinais que atestam a condição física do animal.

Vale ressaltar, que o diagnóstico correto e completo de doenças quem faz é o veterinário. Por isso, em suspeita por algum sintoma é recomendada a procura desse profissional com urgência.

A temperatura ideal de um cavalo adulto deve ser em torno dos 37º C a  38 º C . Já a de um potrinho poderá variar de 37,5º a 39,5º C. Para medir corretamente essa temperatura é necessária introdução de um termômetro com mercúrio na cavidade anal do cavalo. Vale lembrar que a temperatura acima do normal indica febre geralmente caracterizada por outras perturbações, como aceleração do pulso que indica os movimentos do coração. 

Nos cavalos, a pulsação normal em descanso por minuto pode variar de 28 a 42 batimentos. Nos potros em descanso as pulsações podem variar de 40 a 58. Já nos recém-nascidos, a frequência pode ir de 60 a 110 batimentos por minuto.

Durante as provas e treinamentos a frequência cardíaca pode chegar a 180 batimentos por minuto. Já nas provas de galope esse valor pode chegar a 240 batimentos por minuto, sendo esse número o esforço máximo considerado. 

O ritmo respiratório também é outro fator importante. Verificado por meio da contagem do número de modos dos movimentos do flanco por minuto, o número de movimentos respiratórios aumenta após um exercício ou esforço pesado ou durante a febre.

Nos cavalos, a respiração pode ser examinada colocando-se a mão aberta em frente às narinas do indivíduo, mas cuidado para não alterar a frequência, pois a aproximação e contato podem acelerar o ritmo respiratório. 

Sinais de problemas também são refletidos no pelo. Ao escovar o animal é necessário examinar se não há as conhecidas micoses e falhas, pois, os fios deverão crescer por igual.

Outro fator importante que os veterinários sempre enfocam, é a aparência das fezes dos cavalos. As mesmas deverão ser sólidas, úmidas, com a cor próxima a do capim (esverdeada), já a urina deverá ter uma cor amarelada.

O comportamento dos cavalos modifica quando algo não está certo. Quando um animal não está bem ele apresenta uma série de sintomas entre eles: quando o animal observa o flanco, quando deita/rola, para de comer, transpira em excesso e quando se movimenta de um lado para outro.

A avaliação da boca e dos olhos é também uma prática comum dos veterinários ao verificar as condições físicas de um exemplar. Então fica a dica “ a análise da mucosa labial é um dos métodos mais eficazes em uma avaliação clínica”. Casos em que a mucosa se apresenta anormal com vermelhidão, aparência amarelada e arroxeada são sinais de que algo está errado, como por exemplo doenças por ectoparasitas, babesia, entre outros.

Outro exame feito pelos veterinários é o teste da prega cutânea que vai detectar se o animal está ou não desidratado, uma prática eficaz que contribui no dia a dia dos criatórios.  de acordo com Felipe Costa Debossan, veterinário, para esse teste ser realizado o profissional deverá “beliscar e puxar a pele do animal”, a mesma deverá voltar de um a dois segundos na condição normal. Caso isso não ocorra, isse é indicavo de desidratação. Outro teste é comprimir /apertar a gengiva do animal. a mesma deverá voltar a coloração normal de 1 a 2 segundos, pelo preenchimento dos capilares. Caso isso não ocorra, é indicativo de desidratação ”, informou.